Archive for July, 2009

27/7/09

27/07/2009

Sei la o que me deu hoje. Acordei as 6 da manha e não consigo voltar a dormir… Se não fosse o vestibular, se não fosse minha ansiedade costumeira e o tédio casados talvez eu estaria sonhando..

Mas por que voltar a dormir se eu posso usar esse tempo conquistado? Será que existe algum motivo em especial para eu ter acordado muito cedo e não conseguir voltar a dormir? Essas questões simples cotidianas me intrigam,e muito. Mas ah, que seja!

Pensei em reler os resumos de literatura para a FUVEST, já que não tenho saco de ler a maioria dos livros daquela lista. Me perdi nas idéias e vim parar aqui, escrevendo pro blog. Escrever para passar o tempo, escrever por hobbie…

Idéias são pra se perder. São sim.

“(…) perder-se também é caminho.” Clarice Lispector

..

25/07/2009

Bonito olhar pro mundo e também para as pessoas, a visão completamente apurada para a beleza possível em todas as coisas, até mesmo as tristes, “sem ênfase”, como diz o poeta.

Alexandra Kolontai, do livro “A nova mulher e a moral sexual”.

19/07/2009

“A literatura contemporânea é rica, sobretudo, em figuras de mulheres do tipo transitório. É rica em heroínas que têm simultaneamente as características da mulher antiga e da mulher nova. Por outro lado, ainda nas mulheres do tipo celibatário já formado, observa-se um processo de transformação dos novos valores, que podem ser abafados pela tradição e por uma série de pensamentos superados. A força dos séculos é demasiado grande e pesa muito sobre a alma da mulher do novo tipo. Os sentimentos atávicos perturbam e debilitam as novas sensações. As velhas concepções da vida prendem ainda o espírito da mulher que busca sua libertação. O antigo e o novo se encontram em contínua hostilidade na alma da mulher. Logo, as heroínas contemporâneas têm que lutar contra um inimigo que apresenta duas frentes: o mundo exterior e suas próprias tendências, herdadas de suas mães e avós.
Como disse Hedwig Dohn, “os novos pensamentos já nasceram em nós, mas os antigos ainda não morreram. os restos das gerações passadas não perderam sua força, ainda que possuamos a formação intelectual, a força de vontade da mulher do novo tipo”. A reeducação da psicologia da mulher, necessária às novas condições de sua vida econômica e social, não pode ser realizada sem luta. Cada passo dado nesse sentido provoca conflitos, que eram completamente desconhecidos das heroínas antigas. São esses conflitos que inundam a alma da mulher, os que pouco a pouco chama a atenção dos escritores e acabam por converter-se em manancial de inspiração artística. A mulher transforma-se gradativamente, e de objeto de tragédia masculina converte-se em sujeito de sua própria tragédia.”

Re-retirado de http://www.fotolog.com.br/poesiaemvermelho/58705398 .

Sing for absolution

10/07/2009

Queria poder olhá-lo nos olhos e dizer: você é incrível! Mas algo me conteve antes que eu pudesse respirar… E então, eu vi a real realidade.
Nada disso me pertence, nada disso nos pertence… Tão supérfluos e tão eternos ao mesmo tempo… E eu vou continuar fingindo que acredito no nada.

Quero reconhecer outro outra vez. Quem sabe.

Fim dos paradoxos.
Mente que mente!
Ah!

Amanha vou viajar, finalmente!

Salvador

06/07/2009

I SI CANTO TRIST

Jo no estimo la por, ni la vull per demà,
no la vull per a avui, ni tampoc com a record;
que m’agrada els somrís
d’un infant vora el mar
i els seus ulls com un ram d’il·lusions esclatant.

I si canto trist
és perquè no puc
esborrar la por
dels meus pobres ulls.

Jo no estimo la mort
ni el seu pas tan glaçat,
no la vull per a avui, ni tampoc com a record;
que m’agrada el batec d’aquell cor que, lluitant,
dóna vida a la mort
a què l’han condemnat.

I si canto trist
és perquè no puc
oblidar la mort
d’ignorats companys.

Jo no estimo el meu cant, perquè sé que han callat
tantes boques, tants clams, dient la veritat;
que jo m’estimo el cant
de la gent del carrer
amb la força dels mots
arrelats en la raó.

I si canto trist
és per recordar
que no és així
des de fa tants anys.


Tradução para o espanhol:

I SI CANTO TRISTE
Yo no quiero el miedo,
ni lo quiero para mañana,
no lo quiero para hoy,
ni tampoco como recuerdo;
que me gusta la sonrisa
de un niño cerca del mar
y sus ojos como un ramo
de ilusiones estallando.

Y si canto triste
es porque no puedo
borrar el miedo
de mis pobres ojos

Yo no estimo la muerte
ni su paso tan helado,
no la quiero para hoy,
ni tampoco como recuerdo;
que me gusta el latido
de aquel corazón que, luchando,
da vida a la muerte
al que lo han condenado

Y si canto triste
es porque no puedo olvidar
la muerte de ignorados compañeros.

Yo no quiero mi canto,
porque sé que han callado
tantas bocas, tantos clamores,
diciendo la verdad;
que yo quiero el canto
de la gente de a pie
con la fuerza de las palabras
arraigadas en la razón.

Y si canto triste
es para recordar
que no es así
desde hace tantos años.

Sonhos

03/07/2009

O que são eles? Imagens inconstantes de desejos que surgem à mente? Depois de conversas com uma amiga sobre sonhos, desejos e vontades ela me disse uma coisa que eu nunca tinha parado para pensar. No que você se imagina? Quando você quer muito alguma coisa, você se vê conquistando essa coisa? O simples ato de sonhar, de imaginar-se, carrega um significado tão imenso, e uma força tão grande capaz de tornar-se real!
A começar pela conquista da motivação necessária para colocar seus planos em pratica…
Pode tudo parecer estranho no momento mas eu sei, de coração, que é lá que eu quero estar, e é lá que eu vou estar =)

Nem queiram entender, é inexplicável!

ENFIM, FÉRIAS!

01/07/2009

Faça de cada instante da sua vida um momento inesquecível. O passado já se foi, o agora é seu presente e o futuro ninguém sabe! Portanto, de muitas risadas, conheça pessoas novas, fale besteiras, filosofe às vezes, beije mais, apaixone-se por você todos os dias, apaixone-se pelas pessoas ao seu redor, estude o que você gosta e divirta-se por um dia tentando fazer o que você não gosta.
Ame incessantemente em cada instante…
Descubra-se: pratique esportes desconhecidos, tente desenhar o que vier a cabeça, escreva um pensamento num papel, aproveite seu corpo (ele é seu melhor instrumento!), aproveite sua mente! Viva, e acima de tudo, lembre-se de que a felicidade é a soma de cada instante bem aproveitado!

ENFIM, FÉRIAS!
Logo menos, PORTO!
Logo logo menos: FUVEST!
E logo logo menos ainda: ADEUS COLEGIO!

Estou crescendo! Isso é tão lindo e assustador ao mesmo tempo!…
Brilhante! 😉