Archive for October, 2009

Sem carinho

21/10/2009

Os cabelos caiam-lhe na face e era preciso enxergar. Colocou-os detrás das orelhas e, o que viu não passou de seres azuis saltitantes, felizes e ocos de felicidade. Tudo aquilo não passava de uma droga a ser consumida; da pseudoilusão da alegria, companheirismo, amizade. E, mesmo se fossem reais, deveriam por isso ser tão irracionais?
A perspectiva de um remédio para a felicidade era tão maior e tão mais atraente que pouco importava aqueles que não seriam aclamados e não compartilhariam do momento. Nesses casos, felicidade e egoísmo andam de mãos dadas e o valor das coisas é fingido.
Palmas, uivos, aclamações maiores que não passavam de brincadeiras tolas. Justo aqueles que desmereciam e impediam o valor das ações humanas para preservar o ‘sistema de produção’ recebiam os mais extasiados aplausos.
É triste, os azuis aplaudiam suas drogas e seus remédios com fervor, de tão dopados que estavam.
E aquilo para eles era a felicidade. Instantânea.

9/10/09

09/10/2009

To meio pra la de Bagda. Nem eu sei!

“Não acreditem em nada só porque lhes foi dito. Não acreditem na tradição apenas porque foi passada de geração em geração. Não acreditem em nada só porque está escrito nos seus livros sagrados. Não acreditem em nada apenas por respeito à autoridade de seus mestres. Mas qualquer coisa que, depois do devido exame e análise, vocês achem que leva ao bem, ao benefício e ao bem-estar de todos os seres – nesta doutrina creiam e aferrem-se a ela e a tomem como guia.”
Siddhartha Gautama, o Buda

Colorir

03/10/2009

“Tudo o que toco me tinge.
Indesejadas e desejadas cores
E delas todas me visto,
Misturo como convém.

Algumas me chegam prontas,
Algumas me deixam louca,
Mas tudo que me toca tinge:
Penetra a pele e entra.

Me move de alguma maneira,
Não é preciso temê-las.

Me assustam os descoloridos…”

22:15

01/10/2009

Seja você primavera ou verão
Veja, o sol nasce lindo no poente
Me dê a mão, vamos juntos lutar…