Março de dois mil e dez não parece março

Não conseguir mais rabiscar letras não é legal…

Faz tempo que não escrevo, e isso me deixa um tanto quanto angustiada! Gosto de escrever. Mesmo que besteiras… gosto do prazer de produzir um texto, de me expressar.

Não sei como vai ser o ritmo esse ano, mas essa semana me levou a acreditar que vai ser tão corrido, mas tão corrido, que mal vou sentir o tempo passar e novembro vai chegar rapidinho. E ate la, espero não abandonar esse cantinho aqui!

Não há nada de espetacular em ficar expondo vontades, mas o que acontece nesse caso é que não quero abrir mão (novamente) de blogar. Quem me conhece sabe que blogo desde os dez anos e apesar do período pré-adolescente de avalanche sentimental e ‘achismo de maturidade’ ter passado, a vontade de escrever, não.

É isso.. é mais o desabafo de um temor, o registro e futuro lembrete de uma sensação, do que qualquer outra coisa.

Será que outras pessoas passam por isso também? De ter medo de deixar de fazer o que gostam, por mais simples que seja?

~*~

A vida (de vestibulanda) começa depois do carnaval

Sabe ‘aquela’ primeira conquista própria  que dependia de toda sua dedicação pra se tornar realidade, que você sentia na ponta do lápis, no risco da caneta no caderno? Essa conquista ai, que você constrói com palavras, idéias e conhecimento, que marca sua passagem para a vida adulta? Essa daí mesmo, escorreu por entre as mãos. O lápis, a caneta, o papel.. tudo caiu no chão. Caiu na realidade, você não conseguiu. E quem sentiu dores não foi o papel, a caneta ou o lápis… foi você.

E ai, como você não quer desistir logo de cara, e pensa que os três anos de colegial foram mais farra do que estudo, se da mais uma chance, e vai pro cursinho.

E ca estou, nessa situação. Eu e mais umas quatro mil pessoas no Tamandaré.

.

Essa semana marcou a volta aos estudos, sob uma nova realidade. Cursinho não é escola! Você não tem que fazer coisinhas pra passar de ano. Não é faculdade! Mas você já é adulto, e tem uns bares irresistivelmente perto para te seduzirem e desvirtuar o caminho do ‘bem, a verdade, e a vida!’. Pois é.

Esses sete dias corridos, não correram. Voaram! E pelo visto vai ser assim o ano inteiro. Isso é bom, anestesia a dor que sempre antecede as boas noticias (ou não.. – mas vamos pensar positivo!).

To curtindo muito! É muito puxado… rever coisas já antes vistas, tarefa todo dia… e você nem sabe se no final vai ser recompensado. É…

Mas tem pessoas novas e divertidíssimas (desde green line ate o Acre!), tem metro as seis da manha com as amigas (compartilhar dores sempre é bom), tem professores excelentes que fazem você gostar de coisas antes odiadas (matemamamama…), tem ar-condicionado pra te manter acordado (e ressecar sua garganta) e calor humano pra te aquecer, quando você tenta se enfiar na carteira (e é esmagado) =D

Enfim… não sei o que esperar. Mas assim é mais divertido, não é? Essa incerteza sobre as coisas, esses mistérios, que seduzem e pedem pra você se entregar. Então, que me entregue de corpo e alma ao cursinho! E vamos ver o que vira…

Updated: Pra terminar esse post, não poderia me esquecer de uma frase muito linda, que combina muito com esse momento de tensão e incertezas, pressa e ao mesmo tempo lentidão…

“Reze e trabalhe, fazendo de conta que esta vida é um dia de capina com sol quente, que às vezes custa muito a passar, mas sempre passa. E você ainda pode ter muito pedaço bom de alegria. Cada um tem a sua hora e a sua vez: você há de ter a sua.” Guimarães Rosa

*

ps* Dani, seu post não esta esquecido! Ainda to pensando no que escrever nele, pra ficar legal! Ta? Quando tiver postado te aviso=)

Advertisements

3 Responses to “Março de dois mil e dez não parece março”

  1. Samuel Marcondes Says:

    Olá!
    gostei mto do seu blog
    comecei a ler os seus posts, em mtas coisas concordo e penso como vc

    “De ter medo de deixar de fazer o que gostam, por mais simples que seja?”

    Sim eu tenho, de zuar com minha familia, de fikar sem fazer nada pra ouvir o som da natureza, pra sentir akele ventinho gostoso e perceber q o tempo da kda passo de uma vez… deixar de fazer oq gosta pra estudar matematica, informatica, como eu :~ , td dia na faculdade? pra q? pra ter sucesso financeiro, status, um emprego estavel?

    Se vc puder fuja disso! rsrsrs…

    Parabens pelos textos e pela forma de pensar!!

    • Samuel Marcondes Says:

      Concertando o comentario anterior =S ( nao to acostumado a usar esse wordpress )

      “De ter medo de deixar de fazer o que gostam, por mais simples que seja?”

      Sim eu tenho, de zuar com minha familia, de fikar sem fazer nada pra ouvir o som da natureza, pra sentir akele ventinho gostoso e perceber q o tempo da kda passo de uma vez… deixar de fazer oq gosta pra estudar matematica, informatica, como eu :~ , td dia na faculdade? pra q? pra ter sucesso financeiro, status, um emprego estavel?

      Se vc puder fuja disso! rsrsrs…

  2. Luis Fernando Says:

    Priiiiiiiiiiiiiiiiiiiii ,, ZL !!!! po esse texto me dexo com mó peso na consciencia, pff, mas valew, mto bom pri , parabens

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: