Archive for the ‘Reflexões’ Category

Março de dois mil e dez não parece março

06/03/2010

Não conseguir mais rabiscar letras não é legal…

Faz tempo que não escrevo, e isso me deixa um tanto quanto angustiada! Gosto de escrever. Mesmo que besteiras… gosto do prazer de produzir um texto, de me expressar.

Não sei como vai ser o ritmo esse ano, mas essa semana me levou a acreditar que vai ser tão corrido, mas tão corrido, que mal vou sentir o tempo passar e novembro vai chegar rapidinho. E ate la, espero não abandonar esse cantinho aqui!

Não há nada de espetacular em ficar expondo vontades, mas o que acontece nesse caso é que não quero abrir mão (novamente) de blogar. Quem me conhece sabe que blogo desde os dez anos e apesar do período pré-adolescente de avalanche sentimental e ‘achismo de maturidade’ ter passado, a vontade de escrever, não.

É isso.. é mais o desabafo de um temor, o registro e futuro lembrete de uma sensação, do que qualquer outra coisa.

Será que outras pessoas passam por isso também? De ter medo de deixar de fazer o que gostam, por mais simples que seja?

~*~

A vida (de vestibulanda) começa depois do carnaval

Sabe ‘aquela’ primeira conquista própria  que dependia de toda sua dedicação pra se tornar realidade, que você sentia na ponta do lápis, no risco da caneta no caderno? Essa conquista ai, que você constrói com palavras, idéias e conhecimento, que marca sua passagem para a vida adulta? Essa daí mesmo, escorreu por entre as mãos. O lápis, a caneta, o papel.. tudo caiu no chão. Caiu na realidade, você não conseguiu. E quem sentiu dores não foi o papel, a caneta ou o lápis… foi você.

E ai, como você não quer desistir logo de cara, e pensa que os três anos de colegial foram mais farra do que estudo, se da mais uma chance, e vai pro cursinho.

E ca estou, nessa situação. Eu e mais umas quatro mil pessoas no Tamandaré.

.

Essa semana marcou a volta aos estudos, sob uma nova realidade. Cursinho não é escola! Você não tem que fazer coisinhas pra passar de ano. Não é faculdade! Mas você já é adulto, e tem uns bares irresistivelmente perto para te seduzirem e desvirtuar o caminho do ‘bem, a verdade, e a vida!’. Pois é.

Esses sete dias corridos, não correram. Voaram! E pelo visto vai ser assim o ano inteiro. Isso é bom, anestesia a dor que sempre antecede as boas noticias (ou não.. – mas vamos pensar positivo!).

To curtindo muito! É muito puxado… rever coisas já antes vistas, tarefa todo dia… e você nem sabe se no final vai ser recompensado. É…

Mas tem pessoas novas e divertidíssimas (desde green line ate o Acre!), tem metro as seis da manha com as amigas (compartilhar dores sempre é bom), tem professores excelentes que fazem você gostar de coisas antes odiadas (matemamamama…), tem ar-condicionado pra te manter acordado (e ressecar sua garganta) e calor humano pra te aquecer, quando você tenta se enfiar na carteira (e é esmagado) =D

Enfim… não sei o que esperar. Mas assim é mais divertido, não é? Essa incerteza sobre as coisas, esses mistérios, que seduzem e pedem pra você se entregar. Então, que me entregue de corpo e alma ao cursinho! E vamos ver o que vira…

Updated: Pra terminar esse post, não poderia me esquecer de uma frase muito linda, que combina muito com esse momento de tensão e incertezas, pressa e ao mesmo tempo lentidão…

“Reze e trabalhe, fazendo de conta que esta vida é um dia de capina com sol quente, que às vezes custa muito a passar, mas sempre passa. E você ainda pode ter muito pedaço bom de alegria. Cada um tem a sua hora e a sua vez: você há de ter a sua.” Guimarães Rosa

*

ps* Dani, seu post não esta esquecido! Ainda to pensando no que escrever nele, pra ficar legal! Ta? Quando tiver postado te aviso=)

Último do ano

30/12/2009

Fazendo um balanço geral de 2009, foi um bom ano! Não foi excelente, mas também não foi ruim. Foi bom.

Foi um ano de conquistas .

No plano interior, conquistei meu amor próprio (mesmo que nossa relação ainda seja um pouco conflituosa..haha!) , conquistei mais independência e menos medo. Conquistei mais liberdade. Antes eu tinha muito medo de andar sozinha na rua, de conversar com varias pessoas num grupo, de expor minhas idéias e agora, não tenho mais essas coisas ou tenho menos que antes.

Estou mais forte, mais confiante. Algumas pessoas são naturalmente assim, feliz consigo mesmas, ligando o foda-se pra todo mundo e fazendo o que bem entender. Eu, in(felizmente?) não consigo ser assim. Eu penso nos outros, eu penso nas pessoas e procuro sentir o que elas sentem. Não que isso seja um defeito, mas fazer isso o tempo todo é sufocante porque agente acaba se prendendo muito aos outros e esquece de si mesmo. Ser razoavelmente egoísta não é algo ruim, e nesse ano eu aprendi a ser um pouquinho, mas ainda falta muuito!

No plano material não tive muitas ambições, mas umas pouquinhas já me deixaram feliz. Consegui aprender a usar maquiagem (hahaha, aos 17 ter um pouco de vaidade não é tão mal!). Ainda detesto pintar as unhas, de vez em quando ainda tento, mas acho que não tem jeito mesmo, não gosto. Consegui domar um pouco minha orelha, pq ela adooora inflamar! Bepantol foi bem amigo nisso, da uma curada relativamente rápida na alergia de brincos. Então, comecei a usar mais brinco também… Ainda não aprendi a controlar meu cabelo, mas minha pele ta com menos acne e melhor, apesar de ainda não estar do jeito que eu gostaria (ok, eu implico demais com isso!). Mas ta bom, as coisas tão indo! Resumindo tudo, estou menos macho e mais vaidosa. Ahuehuae =D

No plano social… conheci varias pessoas que gostei muito e me inspiram admiração. Pena que não deu tempo de ficar mais próxima dessas pessoas, pq eu realmente considero-as muito! Fazer o que, ano de vestibular parece que é assim mesmo, as relações ficam mais supérfluas… Mas também foi um ano em que eu sai bastante ate! Fui no show do Iron, em duas passeatas ForaSarney, fui no teatro, viajei pra Porto Seguro e Salvador, reencontrei Brasília… e sai ate que bastante com meus amigos, isso foi muito bom! =)

No plano escolar… bom, foi um fiasco. Da pra contar nos dedos quantas tarefas de casa eu fiz. Acho que foram umas dez o ano todo. Hahaha! Ou seja, saldo quase zero de aprendizado nas matérias mais chatinhas (fis, quim, mat), mas no resto ta beleeeeeza. Esse ano eu tava muito triste, desanimada, desmotivada. Cansei já de falar sobre isso, mas as vezes sinto como se tivesse que justificar pra mim mesma o tempo todo que não deu, mesmo eu sabendo que não tinha condições mesmo de dar certo, de ter empolgação pra fazer alguma coisa. Ate porque, uma das coisas que considero mais idiota é o sistema atual da escola. Agente aprende coisas inúteis pra depois que passar no vestibular deletar tudo, e a escola acaba perdendo o papel social dela, fica algo muito mecânico e desinteressante… enfim, deixo essa critica pra depois,mas o que quero dizer é que pra alguém que já acha a escola um pe no saco e ta passando por problemas pessoais, a coisa fica mais chata ainda,e deu no que deu. Pelo menos to de férias ate fevereiro =P

No plano intelectual… esse ano fiquei bem contente de ter conseguido tempo pra ler algumas coisas que eu tava com vontade. Li Crime e Castigo, O caçador de pipasO processo, 1984 e Revolução dos Bichos. E também consegui assistir vários filmes diferentes, com um feeling mais delicado ou/e mensagens mais criticas. Bem legal! Também conheci um pouco mais da musica brasileira. Foi um ano de amadurecimento intelectual… mas ainda falta conhecer e descobrir muita coisa!

Objetivos para 2010?

1) Conseguir passar na FUVEST, melhorar minha redação e me tornar uma pessoa mais segura, confiante.

2) Conseguir fazer um esporte ao longo do ano

3) Terminar finalmente meu inglês

4) Melhorar as manchinhas da minha pele do rosto ou implicar menos com elas!

5) Ser menos tímida e mais extrovertida, sociável.

6) Conseguir ler mais

7) Passear mais com a Jessy(minha cachorra=P)

8 ) Sair pra lugares novos, ir mais em teatros, shows, exposições e museus.

E, no final de tudo, ter aproveitado cada momento e vivido intensamente mais esse ano novo ai! Que venha 2010! Feliz Ano novo pra quem fica, ou pra quem já vai viajar… e aos vestibulandos de plantão, boa FUVEST, Unicamp e demais vestibulares! 🙂

“A coisa mais triste do mundo não é alguém que perde os dedos, ou mesmo que perde a vida, mas alguém que não foi a luta, que não andou, que não percorreu um trajeto. Hoje eu sei que muito mais importante que o resultado é o caminho que agente faz.” Amyr Klink

Beijos!

Feliz Natal!

25/12/2009

Olaa!  Como foi o natal de vocês? Muita comida, conversas e presentes?

O meu foi bem divertido e diferente! Primeiro natal sem a companhia do meu avo, sinto saudades dele. Mas afora isso, correu tudo bem, tudo em paz… muito diferente do ano passado. E, sem duvidas, eu prefiro o novo jeito… poucas pessoas (é incrível como a família se divide depois da morte de um parente importante), poucos presentes e muita comida e paz! Ahh sim, porque brigar em plena época de natal e ano novo, ninguém merece.

É interessante ver como as pessoas se comportam no natal. Algumas podem festejar felizmente curtindo a presença da família. Para outras, a família é uma desgraça e o natal imprestável. Outras gostam das celebrações religiosas… alguns passam sozinhos, ou em casais, ou em amigos… não importa como, com quem ou onde, o importante é aproveitar o dia, assim como deve-se aproveitar a vida. Por isso não recrimino a data e espero que os odiadores do natal tentem pensar nele de forma positiva, mesmo quando a corrente puxa o contrario… família as vezes é uma maldição, mas não é culpa da data.

Não sou adepta do natal comercial ou hipócrita, aquele onde somos forçados a forjar sorrisos para agradar familiares e engolir o tempo pra tentar faze-lo passar rápido… Eu  gosto do natal por ser uma data de renovação. Querendo ou não, é um lembrete para fazer as pessoas pensarem durante um dia o que deveriam pensar o ano todo..e não apenas pensar, mas por em pratica. Parar de olhar tão somente pro próprio umbigo, procurar viver momentos de paz e não de divergências e brigas, falar coisas bonitas e sinceras as pessoas… Enfim, eu gosto desse lado do natal, e é o lado que ainda me faz ter a esperança em acreditar que não é de tudo uma data inútil.

Desejo a todos meus leitores sempre sempre muitas felicidades, conquistas, paz, amor.. e sem duvida, algo que considero mais importante: luz! Para iluminar caminhos, mentes e corações! Não podemos esquecer que a renovação tem inicio em nos mesmos… mudar sempre! Sempre para melhor!

E aos vestibulandos de plantão, boas provas e muita calma!

Filmes Cartaz Up - Altas Aventuras Ontem assisti ‘Up – Altas Aventuras’, produzido pela parceria entre  a Disney e Pixar. Sou fan dos filmes da Pixar! Amo amo as produções… Toy Story, Monstros S.A, Procurando Nemo são só alguns dos nomes mais conhecidos. O que todos os filmes deles tem em comum? Apesar de serem filmes aparentemente infantis, os temas são universais (amizade, amor, vida, tempo etc) e cada historia tem um jeitinho sensível e único de ser contado – MUUUITO diferente de produções tipo ‘Xuxa e o mistério da feiurinha’ que alem de tentar copiar o estilo americano(o pior dele,alias) de comedias infantis, possui um humor emburrecedor e com aqueles estereótipos nada reflexivos..( Écaaaa! ).

Os da Pixar são filmes inteligentes, sensíveis e muuito bem feitos, feitos para qualquer pessoa, de qualquer idade, assistir. Com um humor tênue, singelo e sincero. Amo! E essa produção mais recente, Up, é incrível! Se puderem, assistam! É muito emocionante, tocante e fofo!

Nesse link  http://www.adorocinema.com/filmes/up/ tem varios comentarios sintetizando a essência do filme! Deem uma lida, vale a pena!

Por enquanto é isso…

Beijos!

DF e blábláblás

23/12/2009

Tres poderesReflexos – Sexta fui pra Brasília. Como la é diferente daqui é indescritível. Não que tenha sido alguma surpresa nova, já conhecia o lugar… mas é sempre bom ver o que as pessoas conseguem fazer quando tem BOA VONTADE. Se um presidente construiu uma capital nova para o pais durante sua gestão do governo, também é possível melhorar a saúde publica, o transporte e a educação, no mínimo esses três itens, no Brasil inteiro. Decepciona-me ver as eleições chegando, e junto um filme sobre a vida do presidente, promessas, acusações e propagandas apenas.

Naqueles dias… – Agente passa o tempo todo buscando algo que nos complete, nos torne plenos e verdadeiros. Mas…. quando vamos encontrar esse algo? Parece que sempre falta alguma coisa. Não quero,e nem ouso, ser sempre certinha… viver a vida seguindo todas as regras não é viver, alem do que não completa nada e nem ninguém. Transgredir faz parte. Mas viver na transgressão, também não é viver. Alguém me explica, quando que esse vazio vai-se embora? Porque enquanto tudo que toco esvoece em minhas mãos, o chão ainda é firme. Não sei se deveras seja bom, ou ruim… alguém, se souber, me explique.

Vivendo um monte de sensações estranhas e intensas… vai ver é a idade. Vai saber.

13/12/2009

Vitrolinha vitrolinha minha!

Quis subir ao céu e tocar as estrelas. Inebriar em nevoas, balançar, deixa-se levar… Tocar o tempo, mentir verdades, iludir a realidade. Saudade! Saudades..! Em espanto tocou e deixou-se tocada; parou na escada, olhou por trás da parede e nada… sede,sede, muita sede e nada de água!
Em sono,sonhos! Desativo de memórias, criação de idéias e relaxando a cuca. Ahhh, traz coisas diferentes, sensações novas o tempo novo! Diz ano novo, então mudem as caras, por que não há de mudar? Mudem, mudem as caras…!
Quis escapar do passado, inovar o presente e desconhecer o futuro. Quis sair do tédio… que tédio! Cansaço do mato, de todos cavalos, do ginásio e colegial! Vida, vida, quer vida! Andar, cansar, caçar! Morrer de amor e matar!
Viver em letras, mas o vicio não deixa! Maquina chata, quente, metálica, me liberta de sua presa? Me tenta, me tenta, cedo e nada trás em troca… maquina dos homens,maldita maquina… gosto tanto de tu, metálica..e só se aproveita de mim.
Em marte o leão! Final de netuno seria mais certo dizer… mais certo, não de todo certo. Nos outros planetas criar vontade,vencer barreiras invisíveis de mim com mim mesma. Tirar pedras dos caminhos… ou, pular… que seja,desde que superar!
Escreve, mas em tinta de watts não fica muito impresso.. sabe-se la como são a coisas, não.. ? duas e vinte dois… beijos pro relógio! Escreve pra depois ler, lembrar e manter sorriso! Vá entender, vá entender… cansei desse tema,mas não canso de o reescrever.

à Diego Andrade, 23/11

06/12/2009

Esse post é uma resposta ao post de 23/11 do Diego Andrade.
1ª Passeata Fora Sarney, Agosto 09

Diego, eu não diria que os jovens insistem em fechar os olhos… muitos deles já estão cegos, – como aqueles das classes mais populares desprovidos de ensino de qualidade, com condições precárias de vida e uma lavagem cerebral governamental absurda – e outros furaram os próprios olhos ao negarem a importância e interesse da política para a vida cidadã (afinal, esses que furaram os próprios olhos não dependem da maioria dos serviços públicos, como educação-saúde-transporte e logo, não sentem-se parte do país, a não ser em época de Copa do Mundo e olhe la.. )

Mas pior do que a desmotivação de alguns jovens para ingressarem ou ao menos interessarem-se pela política, é a invisibilidade daqueles que tentam fazer algo.

Ainda existem aqueles que se importam. Existem sim. Nem todos são super ativistas, porém basta um começo de senso critico e atitudes pequenas, como o voto consciente, para iniciar mudanças no país.

O que me deixa, com o perdão da palavra, puta da vida, é ver quantas pessoas interessadas, ativistas e conscientes tentam lutar contra o sistema em vão. Fui em duas passeatas fora Sarney,e apenas a primeira teve uma pequena divulgação. Já houve mais de cinco passeatas. E o povo fica sabendo? Não. Tudo neste Brasil é controlado pela mídia, e sem apoio da mídia os poucos que pensam não conseguem seguir em frente. Deprimente,mas é a realidade. Então, o que fazer? Pixar prédios do governo ou muros com frases de luta política? Se rebelar usando de violência? Nada disso dará certo se a mídia continuar mascarando.

Tudo pode ser desvirtuado, dado um novo sentido, ‘vandalismo’, ‘depredação’… Se nem a forma mais simples de ativismo, as passeatas, dão resultado…

Como continuar com a luta por um pais mais justo, se são poucos, mínimos, ínfimos aqueles que pensam e fazem algo, e ainda por cima sofrem com uma ‘censura seletiva’ da mídia? Talvez o voto consciente de toda a nação, a reestruturação da educação e dos setores de base… talvez a aparição de políticos realmente interessados em melhorar o pais e não o saldo bancário da própria família… é muito difícil. É uma questão a se pensar…

Mesmo não sabendo a resposta, o importante é compreender que não é a falta de vontade que impede o ativismo, são outras coisas… e essas sim precisam, custe o que custar, ser derrubadas.

Eu te amo não diz tudo

04/12/2009


O cara diz que te ama, então tá! Ele te ama.
Assunto encerrado.
Você sabe que é amado porque lhe disseram isso, as três palavrinhas mágicas.
Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença de quilômetros.
A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e palavras.
Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que coloca-se a postos para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você quando for preciso.
Ser amado é ver que ele(a) lembra de coisas que você contou dois anos atrás, e vê-lo(a) tentar reconciliar você com seu pai, é ver como ele(a) fica triste quando você está triste, e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d’água.
Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão.
Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente inteiro.
Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que tudo pode ser dito e compreendido.
Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo.
Sente-se amado quem não ofega, mas suspira;
quem não levanta a voz, mas fala;
quem não concorda, mas escuta.

Sem carinho

21/10/2009

Os cabelos caiam-lhe na face e era preciso enxergar. Colocou-os detrás das orelhas e, o que viu não passou de seres azuis saltitantes, felizes e ocos de felicidade. Tudo aquilo não passava de uma droga a ser consumida; da pseudoilusão da alegria, companheirismo, amizade. E, mesmo se fossem reais, deveriam por isso ser tão irracionais?
A perspectiva de um remédio para a felicidade era tão maior e tão mais atraente que pouco importava aqueles que não seriam aclamados e não compartilhariam do momento. Nesses casos, felicidade e egoísmo andam de mãos dadas e o valor das coisas é fingido.
Palmas, uivos, aclamações maiores que não passavam de brincadeiras tolas. Justo aqueles que desmereciam e impediam o valor das ações humanas para preservar o ‘sistema de produção’ recebiam os mais extasiados aplausos.
É triste, os azuis aplaudiam suas drogas e seus remédios com fervor, de tão dopados que estavam.
E aquilo para eles era a felicidade. Instantânea.

22:15

01/10/2009

Seja você primavera ou verão
Veja, o sol nasce lindo no poente
Me dê a mão, vamos juntos lutar…

Incrível como as pessoas só dão valor quando perdem

16/09/2009

ou estão na iminencia de perder. Com tudo é assim.
O ano na escola, os pais com a morte, o namorado com a separação, os amigos com a distância, a beleza com a velhice, o tempo perdido.. Enfim..
divagando,sempre.

Indelével são algumas coisas, mas nem por isso impossiveis de serem perdidas. É, minha gente, aprendam a valorizar a vida pelo que ela é, assim como as pessoas pelo que elas são… não espere perder, recuperar depois pode ser doloroso – ou impossivel.

Mas o pior de tudo é perder a fé e a esperança. Soa cliche,sei sim. Mas falo por experiencia propria: quando começar a sentir-se derrotado, perdido e alheio, saiba que voce pode tentar de novo, e voce DEVE tentar, se for aquilo que realmente quer… ou vai entregar seus sonhos de mão beijada à realidade, antes de tentar torna-los reais? A realidade é mutável. Ela está sempre tentando enganar agente, criando formas medonhas justamente pra desistirmos. Em quem voce acredita? Nela,ou em si proprio?

Cada coisa no seu tempo… estar mal hoje talvez impossibilite você de fazer algo hoje, mas não amanha. Estar bem é estado de espírito indispensável pra ir atras do que vc quer.
Esse ano, confesso, não estava muito bem. O falecer do meu avó, as brigas constantes na família da minha mãe..Espero realmente que ninguem passe pelo que passei, de ver a mãe chorando o dia inteiro, triste, chorando por qualquer coisa e sempre desviando os assuntos para o desabafo – isso cansa, e faz agente sofrer também… será que sou só eu que nessas horas vê os pais perdidos como criança, precisando de ajuda? E não sabe o que fazer? As vezes me sinto mãe da minha mãe. Isso não é mentira, mas também não deveria ser verdade absoluta… quem deve cuidar de quem?… Os pais deveriam ter esse direito de sofrer, assim como os filhos tem? E olha que agente reclama por coisas tão pequenas… sinto tantas saudades do meu avo, dos carinhos dele, das palavras doces e inteligentes, de quando ele dizia ser contra a Igreja enquanto minha mãe tentava me fazer acreditar em passagens da biblia! hahaha!
Isso não vai voltar. Eu sinto saudades. Vô, amei, amo, e amarei você para sempre!

Mas, voltando ao eixo inicial… esse ano parece que perdi tempo demais. Ou talvez queiram me fazer acreditar nisso… Devo seguir o MEU tempo, só tenho 17 anos! Párem, párem com toda essa lavagem cerebral de vestibular, de vida boa e ganhar dinheiro! As pessoas não precisam disso! Elas precisam sentir felicidade naquilo que querem fazer, e isso BASTA!

Não deviamos perder a nossa vida sendo guiados o tempo todo por padrões, por deveres sociais… deviamos escolher.

É pra se pensar.